Goiânia

Vídeo: trabalhador fica soterrado e morre após desabamento em Goiânia

Homem chegou a ser retirado dos escombros e receber os primeiros socorros, mas faleceu ainda no local.

No início da tarde desta quinta-feira (10/2) um homem morreu após ser soterrado depois que a obra em que trabalhava desabar. O homem, que não teve a sua identidade revelada, ficou preso sob os escombros e foi preciso acionar o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO) para tirar a vítima do local.

O acidente aconteceu no Jardim Guanabara, em Goiânia. De acordo com informações divulgadas pelo CBMGO a vítima trabalhava sob a laje quando o teto da construção desabou em cima dele. O homem chegou a ser retirado dos escombros e receber os primeiros socorros, mas faleceu ainda no local.

Nas imagens aéreas divulgadas pela corporação é possível ter noção da dimensão e gravidade do acidente. Testemunhas afirmaram que além da vítima, outras pessoas trabalhavam no local reformando o teto do galpão. Todavia, os outros trabalhadores conseguiram sair correndo antes que os escombros caiassem sobre elas.

Veja o vídeo divulgado pelo Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO):

 

Como identificar sinais de desabamento

De acordo com informações de especialistas, os primeiros sinais de desabamento dizem respeito ao surgimento de pequenas fissuras nas estruturas do local e que vão evoluindo de forma gradativa. Quando isto acontece, a recomendação é de que a estrutura do local passe pela avaliação de profissionais especialista na área, tais como o Corpo de Bombeiros.

Durante a avaliação, o profissional irá observar se há algum problema estrutural, sobrecarga na estrutura, além da presença de vazamentos de água. Quando deixadas de lado e não tratadas, as fissuras podem crescer e se tornar trincas e rachaduras. O aparecimento de infiltrações e manchas marrom avermelhadas também é um sinal de alerta.

Em casos onde a situação é crítica, pode-se observar três estágios terminais da edificação, são eles: quebra de vidros de janelas e portas (primeiro estágio); quebra de gesso e rachaduras maiores (segundo estágio); queda de concreto (terceiro estágio). A recomendação do Corpo de Bombeiros é redobrar a atenção quanto a rachaduras transversais, transpassantes e estalos, além de que o local seja desabrigado ao primeiro sinal de desabamento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo