Nacional

Alexandre de Moraes é hostilizado por grupo e tem filho agredido em Roma

“Bandido, comunista e comprado”, declarou uma das integrantes, termos bastante usados por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes foi hostilizado nesta sexta-feira (14/7) por um grupo de brasileiros no aeroporto internacional de Roma, na Itália. Na confusão, o filho de Moraes foi agredido por um dos integrantes.

Por volta das 18h45 no horário local, o magistrado foi atacado por três brasileiros. Uma mulher identificada pela Polícia Federal (PF) como Andréia xingou o ministro com termos costumeiramente usados por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) contra integrantes da Suprema Corte: “bandido, comunista e comprado”, declarou Andréia.

Em seguida, outro integrante chamado Roberto Mantovani Filho continuou os xingamentos e chegou a agredir fisicamente o filho do ministro. Um outro homem que se identifica por Alex Zanatta Bignotto se juntou e disparou palavras de baixo calão. De acordo com a PF, os dois são empresários de São Paulo.

Por ser juiz da Suprema Corte, Moraes tem a segurança pessoal, no Brasil e no exterior, garantida por policiais federais e do STF. Ele estava acompanhado de seus familiares no aeroporto e retornava da Universidade de Siena, onde realizou uma palestra no Fórum Internacional de Direito.

Os três brasileiros não chegaram a ser presos, mas se tornaram alvos de um inquérito da PF.

Em ligação para o Moraes, o ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB) se solidarizou com a violência sofrida. Nas redes sociais, Flávio Dino repudiou a agressão.

O STF informou que não se manifestaria sobre o caso.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo