Estado

Acusados de matar amiga para testar se eram psicopatas são interrogados; relembre o caso

Polícia Civil concluiu que a jovem foi morta pois uma das acusadas precisava matar uma pessoa para avaliar a reação pós-crime

Os acusados de matar a jovem Ariane Bárbara Laureano de Oliveira, de 18 anos, após a chamarem para lanchar, serão interrogados pela Justiça, nesta quarta-feira (9/2), em Goiânia. A Polícia Civil concluiu que a jovem foi morta porque uma das acusadas queria saber se era psicopata e, para ter a prova, precisava matar uma pessoa para avaliar a reação após o crime.

O responsável pelo interrogatório é o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida. Ele explicou que já ouviu as testemunhas de defesa e acusação e que, após depoimento dos réus, deve decidir se eles vão a júri popular, entretanto haverá um prazo de mais dez dias para que o Ministério Público e a defesa apresentem declarações.

A perícia realizada no corpo de Ariane apontou que ela levou oito facadas e uma acusada postou foto na internet segurando as duas facas usadas no crime, minutos antes de se encontrar com a jovem, segundo a Polícia Civil.

Na época, uma adolescente foi apreendida suspeita de dar uma facada em Ariane e ajudar no homicídio. Por ser menor de idade, uma vez que a adolescente tem 16 anos, o processo criminal corre em segredo na Vara da Infância. A menina pode pegar pena máxima de até três anos de internação, de acordo com informações da TV Anhanguera.

A morte de Ariane Bárbara Laureando de Oliveira, de 18 anos, chocou os moradores de Goiânia. A jovem ficou sete dias desaparecida até ter o corpo encontrado em uma mata de um bairro nobre da capital. Segundo a Polícia Civil, três amigos dela são suspeitos do crime e a motivação seria porque um dos investigados queria saber se era psicopata.

RELEMBRE O CASO

Veja abaixo o que já se sabe sobre a jovem encontrada morta:

  • Quando e onde aconteceu?

A jovem desapareceu no dia 24 de agosto após dizer para a mãe que iria se encontrar com amigos para lanchar, em Goiânia. A mãe dela, Eliane Laureano, disse que a filha chegou a mandar uma mensagem contando que voltaria para casa no mesmo dia, o que não aconteceu.

  • Como foram as buscas?

No dia seguinte, a mãe registrou um boletim de ocorrências. Após três dias desaparecida, ela procurou a imprensa para pedir ajudar para encontrar a filha. Na ocorrência, consta que a menina contou que ia para a casa dos amigos, que ficava no setor Jaó, mesmo bairro em que foi encontrada morta.

Ariane Bárbara Laureano de Oliveira, de 18 anos, em Goiânia, Goiás. (Foto: Arquivo Pessoal/Eliana Laureano)
  • Quando o corpo foi achado?

O corpo de Ariane foi encontrado pela polícia em estado avançado de decomposição na manhã no dia 31 de agosto, em uma mata. Uma nota divulgada pela perícia informou que a identificação foi feita por meio de impressões digitais.

  • Quem são os suspeitos?

Os suspeitos do crime são três amigos da jovem, que foram presos na quinta-feira (15). A Polícia Civil divulgou a identidade deles. Os detidos são: Jeferson Cavalcante Rodrigues, de 22 anos, Raíssa Nunes Borges, de 19, e Enzo Jacomini Carneiro Matos, de 18, que usa o nome de Freya.

O G1não localizou a defesa dos suspeitos para se manifestar sobre o caso até a última atualização desta reportagem.

Enzo Jacomini, Jeferson Rodrigues e Raíssa Borges foram presos suspeitos de matar amiga em ritual em Goiânia, Goiás. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
  • Qual foi a motivação do crime?

O delegado Marcos de Oliveira Gomes, que investigou o crime, disse que Ariane foi morta porque Raíssa Borges desejava saber se era psicopata. Para isso, ela teria que matar alguém para avaliar a própria reação após o assassinato. Eles criaram uma lista de possíveis vítimas.

  • Porque escolheram a jovem?

De acordo com as investigações, Ariane foi escolhida pelo trio porque era pequena, de baixa estatura, e, se caso reagisse no momento do homicídio, eles conseguiriam segurá-la para realizar o crime.

  • Como eles a mataram?

Segundo a polícia, o crime seguiu uma ordem elaborada pelos suspeitos e foi cometido dentro de um carro. O delegado explicou que eles escolheram uma música que falava sobre homicídio e que a canção foi tocada em um momento específico da conversa entre eles.

No meio da música, um deles estalou os dedos. Esse era o sinal para Raíssa matar a amiga, de acordo com Marcos Gomes.

Conforme a polícia, uma das suspeitas deu uma facada na vítima com o carro em movimento e ouvindo a música que eles escolheram. Logo em seguida, outra pessoa desferiu uma segunda facada. A polícia não divulgou a ordem em que os suspeitos estavam no interior do carro.

Polícia apreendeu faca usada para matar Adriane Laureano em Goiânia, Goiás. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
  • Qual era a relação da jovem com os suspeitos?

A mãe de Ariane contou ao G1 que ela tinha uma amizade com eles e que já havia saído antes com o trio. Segundo a mãe, a menina sempre enviava vídeos a ela de onde e com quem estava. Ela revelou que uma dessas imagens aparece um dos suspeitos.

Além disso, a mãe da menina também contou que ela gostava muito de andar de skate e que os suspeitos sempre estavam com ela na pista em que frequentava.

  • Criminosos tentaram não deixar pistas?

Segundo a investigação, o carro usado para jogar o corpo de Ariane numa mata do Setor Jaó foi o mesmo que a buscou no Lago das Rosas, minutos antes de ela enviar mensagem para a mãe avisando que iria lanchar com os amigos.

Segundo a investigação, o veículo já estava forrado com saco de lixo no porta-malas, onde os suspeitos colocaram o corpo dela para ser transportado até ao local de mata.

  • Quem era Ariane de Oliveira?

Jovem, de 18 anos, Ariane de Oliveira gostava muito de animais e sonhava em ser veterinária, mas teve que interromper os estudos porque estava sofrendo bullying na escola, conforme explicou a mãe.

A menina ouvia piadas por conta de sua altura e magreza, por já estar no ensino médio. A mãe dela disse que já havia a matriculado de volta em outro colégio para que fizesse um intensivo e concluísse os estudos, mas não deu tempo.

  • Como era a relação da jovem com a mãe?

Filha de mãe solteira, as duas eram muito apegas. A mãe contou que sempre fez de tudo para dar o melhor para a filha e que elas tinham uma relação de muita confiança. “Ela nunca usou drogas nem nada. Sou mãe solteira. Aqui em casa a gente tinha uma convivência muito boa. Eu era mãe e pai e ela depositava tudo em mim”, disse Eliane Laureano.

Eliane Laureano da Silva ao lado da filha que foi encontrada morta, em Goiânia. (Foto: Arquivo pessoal/Eliane Laureano)
  • Criminosos tentaram confortar a mãe?

A mãe da jovem disse que um dos suspeitos do crime, que era amigo de Ariane, enviou mensagens para ela no dia em que o corpo da filha foi encontrado pela polícia. No texto o suspeito chegou a dizer que amava a filha dela. Três amigos dela foram presos suspeitos do crime.

“Meus mais sinceros pêsames. Eu amo sua filha. Ela não merecia isso”, escreveu. A mãe da jovem relatou que a mensagem foi enviada no dia 31 de agosto por Enzo Jacomini Carneiro Matos, de 18, que usa o nome de Freya.

Mensagem foi enviada por um dos suspeitos à mãe de jovem encontrada morta em Goiânia; três amigos da menina foram presos suspeitos do crime. (Foto: Arquivo pessoal/Eliane Laureano)
  • O que falta saber sobre o crime?

A polícia informou que tenta identificar qual era a posição de cada suspeito dentro do carro, onde o crime aconteceu. A mãe disse ao G1 que outra menina, menor de idade, chegou a enviar mensagens a ela pedindo desculpas.

A mãe relatou que essa adolescente chegou a dizer que estava lá, que viu quando Ariane foi morta e que se arrependia de tudo. As mensagens foram entregues à Polícia Civil, que segue investigando o caso.

Fonte: G1

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo